O Festival

Arraste a borda para mudar a página do FLIP abaixo. Ou ser preferir, acesse o arquivo em PDF.

<!– caso precise de fundo transparente –>

Conectar, integrar, difundir, espalhar, enlaçar, entrelaçar, emaranhar, amarrar, tramar, tecer e fiar. Todo esse emaranhado de palavras traduz o tema escolhido para XII o Festival de Artes de Goiás: Enredos em Redes, que ocorrerá de 17 a 22 de novembro, na cidade de Goiás. Tema este que será o centro de todos os debates, espetáculos e atividades que o Festival contemplará nesta edição. Os enredos como contexto, histórias e percursos vivenciados e possíveis, remontando ao que já foi construído e percorrido pelo Festival e os caminhos que ainda podem ser traçados, e as redes em seus múltiplos significados e formatos.

Essas duas ideias centrais – enredos e redes – nos faz pensar nessa explosão midiática das redes sociais como veículos de comunicação e mobilização das massas, o condicionamento das relações sociais aos encontros virtuais, o que está cada vez mais constante e instrumentalizado. A rede de ensino, as redes, as rendas das varandas da histórica cidade de Goiás, o fio interminável e de múltiplas conexões, as ramificações da cultura e suas expressões, tudo conectado com as inúmeras e velozes mudanças da atualidade.

Enredos em Redes darão forma, formato e conteúdo à grade de programação que será costurada para o XII Festival de Artes de Goiás, com um significativo espetáculo de cada linguagem artística, além de exposições e performances que são consideradas o momento de fruição das Artes Visuais. Esta também respeitará o tripé constituinte do evento, equilibrando o tradicional, o acadêmico e as insurgências, com atrações variadas, incluindo nos espetáculos a diversidade e multiplicidade das produções artísticas, além de buscar contemplar os nossos diferentes públicos.

HISTÓRICO

aprendizes artíficesCriado em 1998, o Festival de Artes de Goiás surge como uma homenagem aos 90 anos da saudosa Escola Técnica Federal de Goiás, hoje IFG. Das 11 edições realizadas, as quatro primeiras foram sediadas na cidade de Goiás, antiga capital do Estado e onde se iniciou a história da Escola Técnica, com a criação da Escola de Aprendizes Artífices, em 1909, pelo então presidente Nilo Peçanha.

Em 2004, quando a Escola já funcionava em Goiânia como Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet/GO), o evento foi transferido para a capital goiana e passou a ser realizado bienalmente no Câmpus Goiânia.

Em 2013, O IFG retomou a realização do evento na cidade de Goiás, pela sua identificação histórica com a origem da Instituição e também como forma de celebrar o principal sítio histórico e cultural do Estado, reconhecido como Patrimônio Histórico da Humanidade pela UNESCO. Esse foi um reencontro com a cidade e com o Festival, que ficou três anos sem ser realizado.

Ao longo desses 15 anos, o Festival reafirmou o diálogo no âmbito da tradição, da academia e da insurgência no contexto local e nacional, amadurecendo sua programação de forma que contemplasse uma intensa participação de artistas, pesquisadores, professores, estudantes e a comunidade em geral, de diversas partes do País.

A realização é do Instituto Federal de Goiás, por meio da Pró-reitoria de Extensão e de comissões criadas a cada edição, cuja composição é formada, principalmente, por professores de Artes de todos os câmpus do IFG.

FICHA TÉCNICA

Coordenadora-geral

Luciana Ribeiro – Câmpus Aparecida de Goiânia

Elza Gabriela Godinho – Câmpus Anápolis

Coordenadora local

Ana Rita da Silva – Câmpus Cidade de Goiás

Comissão Organizadora

Abílio de Jesus Carrascal – Águas Lindas

Andrea Carla de Miranda Pita – Jataí

Adriana Paes Leme -Aparecida de Goiânia

Alessandro da Costa – Luziânia

Ana Rita da Silva – Cidade de Goiás

Daniela Garcia Bueno – Uruaçu

Elza Gabriela Godinho – Anápolis

Martha Manrique – Goiânia Oeste

Mônica Mitchell – Inhumas

Naira Rosana Dias da Silva – Itumbiara

Renata de Sousa Bastos – Goiânia

Rosa Barros – Formosa

COMISSÃO EXECUTIVA

Adriana Paes Leme – Teatro – Câmpus Aparecida de Goiânia

Alessandro da Costa – Música – Câmpus Luziânia

Constantino Isidoro – Pró-reitoria de Extensão/Diretoria de Ações Sociais

Elza Gabriela Godinho – Artes Visuais – Câmpus Anápolis

Luciana Ribeiro – Fórum de Professores de Arte

Mônica Mitchell – Comunicações – Câmpus Inhumas

Renata de Sousa Bastos – Dança – Câmpus Goiânia